Loading...

Escritora discute feminismo, infância e maternidade em livro que será lançado nesta quarta (26)

Com reflexões sobre o abandono ma terno e o crescimento precoce de meninas que precisam enfrentar os traumas desse problema, o livro “No útero não existe gravidade” , da professora Dia Nobre, será lançado na próxima quarta-feira (26), de forma virtual. Mesclando histórias reais e ficção, a obra discute a relação entre mães e filhas, e a pressão social que existe sobre a mulher no que diz respeito ao sentimento e as necessidades de ser mãe.

No livro, a professora de história desenterra as chagas íntimas e sociais de mulheres, ao passo que relaciona memórias de filhas, mães, avós e mulheres que conheceram o peso de amadurecer muito cedo. Para Dia, trabalhar este assunto é algo pessoal e necessário, que surgiu da sua inquietação sobre o tema da maternidade compulsória e da romantização da ideia de ser mãe.

No útero não existe gravidade é o segundo livro da escritora Dia Nobre — Foto: Divulgação

No útero não existe gravidade é o segundo livro da escritora Dia Nobre — Foto: Divulgação

“Esse foi, inclusive, o tema da minha terapia analítica por muitos anos e poder colocar no papel minhas inquietações com esse laço de maternidade, com a maternidade compulsória e com o próprio fato de eu não querer ser mãe, apesar de me sentir pressionada socialmente a sê-lo como todas as mulheres são em algum momento da vida, foi uma espécie de continuação dessa análise sobre as mulheres e às violências que o patriarcado impõe à nossa existência”, afirma a escritora.

“O livro aborda as relações entre mãe e filha que é muito caro para mim, porque eu passei por uma situação parecida com a da personagem, de me ver sem mãe durante a adolescência”.

Com um enredo que trata dos traumas gerados pelo abandono, o livro se dedica a mostrar como as mulheres tentam caber dentro de si mesmas e vão se tornando cada vez menores para que sejam encaixáveis e não deixem à mostra os desejos, o ímpeto de vida, o impulso de morte. A narrativa reflete a vida de milhares de mulheres no país e, para Dia, reforça a ideia de sororidade.

“Acredito que ‘No útero não existe gravidade’ além de contribuir para pensarmos sobre o quanto o machismo e o patriarcado são prejudiciais, também reforça a ideia de sororidade e do quanto é importante termos empatia com as dores de outras mulheres. Fala da importância de tomarmos as mulheres como aliadas e não como inimigas, e, principalmente, de como podemos transformar nossas dores em potência criativa”.

O lançamento virtual do livro será realizado no canal da Editora Penalux no Youtube, às 19h, com mediação da booktuber Tamy Ghannam, graduada em Letras, crítica literária e pesquisadora de narrativas brasileiras contemporâneas.

Sobre a autora

 

Dia Nobre é escritora e professora de história da UPE — Foto: Divulgação

Dia Nobre é escritora e professora de história da UPE — Foto: Divulgação

Escritora e professora adjunta do curso de história da Universidade de Pernambuco (UPE) em Petrolina, no Sertão, Dia Nobre desenvolve projetos ligados à literatura, história, lesbianidades e feminismo. Ela é autora de dois livros publicados na área da pesquisa histórica, “O teatro de Deus e Incêndios da Alma”, tendo recebido três prêmios por este último, incluindo o Prêmio Capes de Teses (2015).

Seu primeiro livro de prosa poética, “Todos os meus humores”, foi publicado em junho de 2020 pela Editora Penalux.

Fonte: G1

Escritora discute feminismo, infância e maternidade em livro que será lançado nesta quarta (26) - Grupo Editorial HN